CIONET identifica as 9 principais tendências tecnológicas para 2017

A CIONET, a maior comunidade de decisores de TI na Europa, com mais de 6300 CxOs, identificou as nove principais tendências de inovação para 2017. A lista é feita após a recolha de informações na sua rede, que já ultrapassa os seis mil decisores tecnológicos. 

De acordo com o report, a transformação digital modela todos os aspetos do negócio e como a tecnologia digital continua a evoluir, acredita-se que uma transformação digital efetiva exigirá a colaboração, planeamento e inclusão de todos os departamentos nas empresas. De acordo com a CIONET, serão estas as principais tendências para 2017:

1 – Aumento da agilidade e adaptabilidade no negócio: A mudança é inevitável, ou será inevitável. Contudo, a já famosa transformação digital não é só sobre incorporação de tecnologias, mas sim sobre a cultura da empresa moderna que tem que estar preparada para a mudança e ter colaboradores que a consigam abraçar. Irá registar-se um esforço geral nos CIOs em aumentar a agilidade da empresa. 

2 – Maior importância da experiência do utilizador: A experiência dos clientes (e também as dos colaboradores) é o objetivo final de qualquer transformação digital. Uma experiência de utilizador de alto nível é uma fantástica maneira de manter os clientes envolvidos e comprometidos com a marca/empresa. Este é um processo abrangente. Em qualquer lugar e em todos os lugares os clientes podem interagir com o seu negócio e a experiência deve ser consistente e positiva, verdadeiramente omnichannel.

3 – Inovação deve acontecer rapidamente: Não é, nem será, apenas sobre inovação. É sobre a velocidade e rapidez com que esta surge no mercado, e se torna competitiva. As novas tecnologias têm que ser avaliadas, testadas, analisadas e julgadas rapidamente do que nunca. As empresas já não se podem dar ao luxo de desperdiçar tempo e recursos na implementação de novas ferramentas que oferecem nenhum valor em tempo real. “Fail faster, to succed faster”.

4 - Abrace a força de trabalho remota: Jovens profissionais (Millenials) preferem flexibilidade acima de tudo. A tecnologia móvel e a proliferação da largura de banda permitem que as empresas se conectem com os melhores talentos em qualquer lugar do mundo, em qualquer fuso-horário.

5 – Realidade Aumentada (AR) e Realidade Virtual (VR): O sucesso retumbante do aplicativo Pokémon GO AR é um alerta para qualquer empresa que não tenha avaliado o potencial da AR e da VR. Essas tecnologias já foram limitados à esfera de jogo, mas são agora mais fáceis de implementar do que nunca. A mudança dominante em direção à VR e AR fornece novas maneiras de se conectar com os clientes e possuir uma oferta única, com interações memoráveis. A popularidade da AR e VR pode também abrir as portas para a gamification no local de trabalho. 

6 - Interfaces de programação de aplicações (API): Novas ferramentas e tecnologias precisam de mais do que um caminho para a viabilidade, caso contrário, o seu valor cai rapidamente. As APIs são uma arma secreta para abraçar a verdadeira transformação digital. eBay e PayPal são duas empresas que têm contado de forma significativa com estas tecnologias, as quais permitem gerir um volume extremamente elevado de transações. Em vez de ser forçado a ”casar com uma plataforma”, a API irá abrir as portas para várias plataformas juntas no mesmo ecossistema - rápido e flexível. 

7 – Big Data e Analytics: A importância do Big Data para o negócios não pode ser ignorada. Sabemos que há uma quantidade estonteante de dados valiosos, mas poucas empresas estão a usá-los. O analytics impulsiona os negócios, mostrando como os seus clientes pensam, o que querem e como o mercado vê a sua marca. Na idade da transformação digital, quase tudo pode ser medido. No próximo ano esta será uma pedra angular de como as empresas operam. Toda decisão importante pode, e deve, ser apoiada em Big Data e Analytics.

8 – A transformação digital é impulsionado pelo IoT: A IoT oferece uma visão incomensurável na mente do cliente e também está a mudar a forma como o dia-a-dia funciona por ajudar a criar cidades mais eficientes. Com uma estimativa de 50 bilhões de IoT Sensors em 2020 e mais de 200 mil milhões de "coisas" na Internet em 2030, não existem dúvidas de que a Internet das coisas transformará os modelos de negócio.

9 – Máquinas inteligentes e de inteligência artificial (AI): Dentro em breve, as máquinas serão capazes de aprender e se adaptar a ambientes. A AI tem sido considerada no reino da ficção científica, mas à medida que melhora, torna-se uma realidade - as máquinas de aprendizagem avançada vão substituir postos de trabalho de baixa qualificação, sendo a inteligência artificial capaz de trabalhar em colaboração com “profissionais humanos” para resolver problemas muito complexos. A AI está a tornar-se numa das forças mais disruptivas no mundo das TI.

Rui Serapicos, Managing Partner da CIONET, afirma que “é urgente terminar com os silos - o papel do CIO mudou dramaticamente ao longo da última década. Com o aparecimento de novas funções como o Chief Digital Officer estamos a assistir a um aumento das necessidades de lidar com a mudança, que é tecnológica, mas acima de tudo, cultural. Acreditamos que estes nove pontos serão essenciais para as empresas que no próximo ano queiram acompanhar o mercado, e estar mesmo um passo à frente da concorrência”.

0 comentários: