Organização voluntária açoriana promove a maior operação de limpeza de lixo marinho do mundo


A bacia atlântica – que abrange as costas da Europa, África, América do Norte e do Sul – vai ser alvo da maior limpeza de lixo marinho do mundo no dia 11 de Junho de 2017. A data foi escolhida em memória de Jacques-Yves Cousteau e do seu contributo para o conhecimento e paixão pelos Oceanos: Cousteau faria 107 anos neste dia, que é além disso um domingo, dia da semana em que o oceanógrafo francês nasceu.
A iniciativa está a ser promovida por um grupo de voluntários baseado na ilha açoriana do Faial, "No More Plastics For The Azores"[1] e que tem já realizado diversas atividades de limpeza de praias e ribeiras no arquipélago, bem como ações de sensibilização junto da população local, incluindo projetos com câmaras municipais, escolas e outras organizações regionais.


Para esta mega-operação, diferentes organizações voluntárias nos Açores, Portugal continental, Madeira, Bermuda, Espanha, Holanda, África do Sul, Brasil, Cabo Verde, Caraíbas, Canárias, Estados Unidos da América, Reino Unido e Irlanda – entre outros países banhado pelo Atlântico – irão neste dia coordenar esforços para recolher todo o tipo de detritos não naturais depositados nas praias e costas atlânticas.
"O objetivo é envolver comunidades, cidadãos e organizações cívicas de todo o universo Atlântico, chamando a atenção para a problemática do lixo marinho, uma preocupação comum e partilhada por cada vez mais pessoas em todo o mundo", disse a propósito Henrique Ramos, um dos promotores da iniciativa.
"Há milhões de toneladas de plástico que vão parar aos oceanos anualmente", referiu este responsável, "que são o agente mais perigoso e cada vez mais presente nos mares de todo o mundo, tendo já entrado na cadeia alimentar na sua fase mais crítica – na base. Daqui até ao prato onde o ser humano se alimenta, é um acumular crescente de micro-plástico que em nada beneficia a saúde humana!"
O grupo No More Plastics For The Azores, bem como as associações congéneres em todo o mundo, realizam ações de limpeza contínuas ao longo do ano mas, "com esta iniciativa coordenada e global, pretendemos chamar a atenção do público em geral para a premência de soluções no combate a este flagelo global", conclui Henrique Ramos.
Todos os voluntários que pretendam participar nesta iniciativa poderão contactar os seus promotores através do endereço [email protected]org e acompanhar o progresso dos trabalhos e as organizações envolvidas em www.atlanticcleanup.org e em www.facebook.com/nomoreplasticsazores/

Ligação à comunidade
No More Plastics For The Azores começou em meados de 2013 e é constituído por um grupo informal de cidadãos que vive no Faial, preocupado com o ambiente e, sobretudo, com o lixo marinho. Limpam a costa, as ribeiras da ilha, trabalham com instituições locais – como as juntas de freguesia, a câmara municipal, as escolas, a PSP… – e tentam envolver ao máximo a população numa problemática que é de todos.
Apesar de o grupo ser formado por apenas uma dezena de pessoas, as suas ações mobilizam muitas mais. Uma ação recente reuniu cerca de uma centena de açorianos que numa só manhã recolheram mais de 4 toneladas de lixo indiferenciado (não orgânico e não reciclável) nas ribeiras do Faial.
Mas se o problema da poluição das ribeiras é sobretudo uma responsabilidade local, o lixo marinho que polui as águas e as costas do arquipélago dos Açores são parte de um problema global muito mais complexo e difícil de resolver. "Os Açores estão no meio do 'giro' do Atlântico Norte", explica Henrique Ramos. "Todos os Oceanos têm 'giros', os quais resultam da dinâmica das correntes oceanográficas, influenciadas pelo movimento de rotação da Terra; e são estes 'giros' que vão acumulando o que anda ao sabor das correntes e acaba por se depositar em obstáculos que encontram pelo caminho – e que, neste caso, são as ilhas dos Açores."
O lançamento da iniciativa AtlanticCleanup.org será feito na Horta, em conjunto com outra iniciativa açoriana que pretende chamar a atenção para a riqueza, diversidade (e ameaças) dos oceanos – o projeto OCEANIC®. Trata-se de um conceito que combina os melhores aspetos do espírito empreendedor com a promoção da vida marinha, ao mesmo tempo que pretende contribuir para o desenvolvimento sustentável dos diferentes recursos naturais do Arquipélago dos Açores.
Coincidindo com o lançamento da ação Atlantic Cleanup, a primeira peça visível do projeto, o OCEANIC® Cafe, abrirá ao público pela primeira vez no dia 9 de Junho.

0 comentários: