Tráfego Cloud representará 95% do tráfego global de Data Center até 2021







O sétimo relatório anual Cisco® Global Cloud Index (2016-2021) foi apresentado hoje e prevê que o tráfego global de data center cloud irá atingir os 19.5 zettabytes (ZB) por ano até 2021, comparado com os 6.0 ZB por ano registados em 2016. Globalmente, até 2021 o trafego de data center cloud vai representar 95% do tráfego total de data center, em relação aos 88% em 2016.
O relatório atualizado está focado na virtualização do data center e no cloud computing, elementos que se têm tornado fundamentais na transformação da forma como se fornecem serviços de rede para empresas e consumidores.
De acordo com o relatório, ambas as aplicações para empresas e consumidores estão a contribuir para o crescimento dos serviços cloud em relação à Internet. Para os consumidores, o streaming de vídeo, as redes sociais, e a pesquisa na Internet estão entre as aplicações cloud mais populares. Para os utilizadores empresariais, ERP, colaboração, analítica e outras aplicações empresarias, lideram este crescimento.

Segurança melhorada e IoT fomentam o crescimento da Cloud
No passado, as questões de segurança da Cloud criaram uma barreira à adoção da plataforma. As melhorias na gestão de data center e o controlo de dados ajudaram a minimizar os riscos corporativos e a proteger informações dos clientes. As inovações na área da segurança associadas a benefícios tangíveis de Cloud Computing, incluindo escalabilidade e economias de escala, assumem um papel central na promoção do crescimento da Cloud projetada no estudo. Adicionalmente, o crescimento das aplicações da Internet of Things (IoT), tais como smart cars, smart cities, saúde conectada e utilidades digitais requerem uma tecnologia computing escalável e soluções de armazenamento para alojar as novas necessidades. Até 2021, a Cisco espera que as conexões IoT atinjam os 13,7 mil milhões, comparativamente com os 5,8 mil milhões em 2016.

Data Centers 'Hyperscale'
A crescente necessidade de recursos para data center e cloud, que surge tanto nas empresas como nos consumidores finais, aumentou o número de data centers Cloud públicos de grandes dimensões, denominados data centers 'hyperscale'. Este relatório prevê que até 2021 haverão 628 data centers 'hyperscale' à escala global, comparativamente com os 338 existentes em 2016.
Os fornecedores de serviços Cloud com data centers 'hyperscale' dominam, cada vez mais, o cenário Cloud. Até 2021, os data centers 'hyperscale' vão suportar:  
  • 53% de todos os servidores de data centers (versus 27% em 2016)
  • 69% da capacidade de processamento dos data centers (versus 41% em 2016)
  • 65% dos dados globais armazenados em data centers (versus 51% em 2016)
  • 55% do tráfego global de data center (versus 39% em 2016) 

Destaques Global Cloud Index e principais previsões:

1- Virtualização do data center e crescimento da Cloud Computing
  • Em 2021, 94% do volume de trabalho e das instâncias de computação será processado em data centers Cloud, já os restantes 6% serão processados em data centers tradicionais.
  • O volume de trabalho em data center crescerá 2,3 vezes, entre 2016 e 2021, já o volume de dados em Cloud vai aumentar cerca de 2,7 vezes, no mesmo período.
  • A densidade das cargas de trabalho e instâncias de computação para os data centers Cloud foi de 8,8 em 2016 e deverá crescer até aos 13,2 em 2021. Comparativamente, nos data centers tradicionais a densidade do volume de trabalho era de 2,4, em 2016 e aumentará para 3,8 em 2021.
2- Big Data e Internet of Things (IoT)
  • Globalmente, os dados armazenados em data centers corresponderão a um volume cinco vezes superior ao registado em 2016 (286 exabyttes (EB)), alcançando os 1,3 ZB até 2021 (com uma taxa de crescimento anual de 36%).
  • O Big Data alcançará os 403 EB em 2021, multiplicando-se cerca de 8 vezes, face aos 25 EB registados em 2016. O Big Data representará 30% de toda a informação armazenada em centros de dados em 2021, versus os 18% verificados em 2016.
  • A quantidade de dados armazenados em dispositivos será 4,5 vezes superior ao volume de dados armazenados em data centers, totalizando 5,9 ZB (82% do volume total), em 2021.
  • Maioritariamente graças à IoT, totalidade de dados criados (não necessariamente armazenados) por qualquer dispositivo alcançará os 847 ZB por ano até 2021, multiplicando-se por quatro vezes os 218 ZB anuais registados em 2016. O volume de dados que serão criados em 2021 serão cerca de 100 vezes mais do que os dados armazenados.
3- As aplicações contribuem para o crescimento do tráfego em data center global
  • Até 2021, o Big Data representará 20% (2,5 ZB por ano, 209 EB por mês) do tráfego nos data centers, em comparação com os 12% (593 EB por ano, 49 EB por mês) registados em 2016.
  • Até 2021, o streaming de vídeo representará 10% do tráfego nos data centers (versus 9% em 2016).
  • Até 2021, o vídeo representará 85% do tráfego nos data centers para usuários finais (versus 78% em 2016).
  • Até 2021, as pesquisas online representarão 20% do tráfego nos data centers (versus 28% em 2016).
  • Até 2021, as redes sociais corresponderão a 22% do tráfego nos data centers (versus 20% em 2016). 
4- SaaS será o modelo de serviço Cloud mais utilizado em 2021
  • Em 2021, 75% (402 milhões) do volume global de trabalho e instâncias de computação na Cloud será processado mediante um Software-as-a-Service, evoluindo dos 71% (141 milhões) registados em 2016.
  • Em 2021, 16% (85 milhões) do volume global de trabalho na Cloud serão Infrastructure as a Service (IasS), decrescendo dos 21% (42 milhões) registados em 2016.
  • Em 2021, 9% (46 milhões) do volume global de trabalho na Cloud serão Platform as a Service (PasS), comparativamente com os 8% registados em 2016 (taxa de crescimento de 23%).
5- Tráfego cloud por regiões
  • A América do Norte acumulará o mais volume de tráfego de cloud (7,7 ZB anuais), seguida pela Ásia-Pacífico (6,4 ZB anuais) e Europa Ocidental (3,3 ZB anuais)
  • Ao nível da criação de tráfego de data center, até 2021, a América do Norte continua a liderar (8 ZB anuais), seguida pela região Ásia-Pacífico (6,7 ZB anuais) e Europa Ocidental (3,7 ZB anuais).

Como destaca Kip Compton, vice-presidente da Divisão de Plataforma e Soluções Cloud da Cisco, "o aumento de aplicações data center está a acelerar significativamente neste novo mundo multicloud. Devido ao crescimento exponencial previsto, será necessário adotar soluções inovadores especialmente nos ambientes cloud públicos, privados e híbridos".


Sobre o Global Cloud Index da Cisco
O Relatório Global Cloud Index de Cisco (2015-2020) foi elaborado com o objetivo de analisar as tendências de crescimento e evolução do tráfego de Data Center e Cloud à escala global. O relatório é um complemento a outros estudos sobre o tráfego de rede IP como o Cisco Visual Networking Index, proporcionando novos dados e visibilidade sobre as tendências emergentes que afetam os centros de dados e as arquiteturas Cloud. O relatório adquire uma maior importância à medida que a rede e os centros de dados se encontram cada vez mais unidos intrinsecamente na hora de oferecer serviços Cloud.

Para o propósito do estudo, o Cloud Computing inclui plataformas que facilitam o acesso a redes ubíquas e on-demand para uma pool partilhada de recursos configuráveis de computing (por exemplo redes, servidores, armazenamento, aplicações e serviços) que podem rapidamente ser aprovisionados e divulgados com um esforço mínimo de gestão ou interação com um fornecedor de serviço. Os modelos de implementação incluem Clouds públicas, privadas e híbridas. Os data centers Cloud podem ser operados por fornecedores de serviços e por empresas privadas.

0 comentários: