Philips apresenta app DreamMapper para pacientes com Síndrome de Apneia Obstrutiva do Sono


A Philips, líder mundial em tecnologia de saúde, vai apresentar durante o "Simpósio Insónia: a perspetiva da Medicina do Sono", da Associação Portuguesa do Sono, a solução de e-healthDreamMapper para pacientes com Síndrome de Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS).
Num momento de demonstração dos benefícios da saúde digital através de novas ferramentas de Telemedicina, a Philips completa o círculo de cuidado do paciente com uma aplicação que permite acompanhar os resultados da sua terapêutica, motivando-o a aderir ao tratamento. De acordo com o estudo multicêntrico realizado na plataforma de Telemedicina EncoreAnywhere da Philips nos Estados Unidos da América, 78% dos pacientes que utilizam a solução DreamMapper cumpriram a terapêutica de forma exemplar, enquanto entre os que seguem um tratamento standard, apenas 56% o conseguiram cumprir. A app DreamMapper melhora a adesão ao tratamento em 22%.

A aplicação DreamMapper está disponível para demonstração durante o "Simpósio Insónia: a perspetiva da Medicina do Sono" que se irá realizar em Coimbra, no dia 20 de Outubro de 2018.

A Telemedicina melhora o cuidado 

Os pneumologistas portugueses defendem que as técnicas de telemedicina e as ferramentas de e-health melhoram a assistência aos pacientes que sofrem de apneia do sono, uma vez que poupam consultas desnecessárias. A conetividade é o grande facilitador da Telemedicina. O facto dos dispositivos CPAP (Continuous Positive Airway Pressure) estarem atualmente conectados e permitirem descarregar as variáveis mais importantes como o número de horas de utilização, por exemplo, abre o caminho para a implementação de plataformas digitais, como sejam EncoreAnywhere da Philips, através da qual os médicos fazem uma gestão virtual do tratamento da apneia do sono.

A telemedicina está a entrar no nosso sistema de saúde a diferentes velocidades e até há muito pouco tempo estava circunscrita ao médico. A Philips continua a derrubar barreiras na saúde, dando poder e ferramentas para que o próprio paciente controle a sua saúde. Foi assim que nasceu DreamMapper, a app de e-health para o paciente com apneia do sono, que se conecta aos dispositivos CPAC da Philips e com a plataforma de Telemedicina EncoreAnywhere, fechando o círculo de cuidado com o paciente.

Desenhada para motivar e capacitar o paciente

De acordo com vários estudos científicos (*2;*3), a motivação é a principal razão pela qual os pacientes com apneia do sono têm baixa adesão, chegando mesmo a abandonar o tratamento. Desta forma, DreamMapper foi desenhado com base na teoria social cognitiva que sustenta que o grau de motivação está positivamente relacionado com o sentimento de autoeficácia. A ferramenta lança dicas motivadoras para que o paciente melhore a adesão ao tratamento, lembretes quando não está a cumprir com as horas prescritas, dá feedback sobre como está a funcionar a terapia, e o melhor de tudo é que permite partilhar estes dados com o médico. Dados, tecnologia e pessoas conectados em tempo real, a qualquer distância.

A app, disponível para IOS e Android, está a ser utilizada com êxito em mais de 15 países da Europa, América e Ásia. DreamMapper conta com mais de 650.000 utilizadores registados e uma classificação acima das 4 estrelas.

Resultados demostrados DreamMapper

Um estudo multicentro conduzida pala divisão de Sleep & Respiratory Care da Philips nos Estados Unidos da América observou mais de 173.000 pacientes registados na plataforma de Telemedicina EncoreAnywhere, durante um período de 3 anos. A análise, realizada entre os anos 2013 e 2016, demonstrou que os pacientes que utilizam a app de e-health DreamMapper registam uma maior adesão ao tratamento. Entre os dois grupos, os utilizadores da DreamMapper (DM) e os pacientes com tratamento standard (TS), 78% dos pacientes DM cumpriram a terapêutica a 100%, enquanto apenas 56% dos TS alcançaram os mesmos resultados. DreamMapper melhora a adesão ao tratamento em 22%.

O desafio da apneia do sono

Cerca de 10% da população adulta mundial sofre de apneia do sono, 90% dos quais não estão diagnosticados. Em Portugal, a síndrome de SAOS afeta cerca de 500.000 pessoas, das quais aproximadamente 80% delas não estão diagnosticadas. Segundo Professora Dra. Paula Pinto "a hipersonolência diurna, frequentemente presente nestes doentes, assume particular importância pela sua associação a acidentes de viação, apresentando os doentes com SAOS grave um risco relativo da sua incidência de 6 vezes superior ao da população em geral. Além do maior risco de acidentes de viação, tem sido também recentemente associada a complicações cardiovasculares, nomeadamente a hipertensão arterial sistémica, enfarte agudo do miocárdio e outras formas de doença coronária, disritmias cardíacas, diabetes mellitus e mesmo morte súbita." A sonolência ao volante é considerada a causa de entre 20% e 25% dos acidentes de trânsito nas estradas europeias.

Bibliografia:

0 comentários: