Análise: Nox Hummer H190


Nesta publicação vamos-vos falar de um dos componentes mais importantes no vosso computador - o dissipador do CPU - e, em concreto, analisar o modelo H190 da Nox.


A ar ou a água, o princípio é o mesmo e passa pela transmissão da potência libertada, em forma de calor, pelo processador (vulgo CPU) para uma superfície de contacto. Esta superfície, por sua vez, interliga-se com condutores térmicos para transportar o calor desde o CPU até uma unidade de arrefecimento. Isto é fundamental para garantir que o vosso processador, quer em carga ou em repouso, funcione numa gama de valores de temperatura aceitáveis.



Poupar o processador do sobreaquecimento traduz-se, ao longo da vida útil da vossa máquina, num ciclo mais longo de renovações. Os vossos processadores vão durar mais tempo e, além disso, desempenhar melhor.

Na hora de escolher um dissipador, a recomendação passa sempre por perceber primeiro qual é o tipo de uso a que se destina o computador (gaming, produtividade, edição de multimédia, etc) e, mediante as necessidade, dimensionar a melhor solução. As necessidades variam e, os parâmetros a ter em conta, também. Alguém que vá, por exemplo, jogar no computador e tem overclock no CPU vai precisar de um dissipador que consiga gerir melhor temperaturas mais elevadas. Provavelmente para este utilizador o ruído acústico produzido pelas ventoinhas de dissipação seja menos crítico do que para um editor. E é com base nesta premissa que vos trago aqui o jack of all trades and master of none - o Nox Hummer 190.



Este cooler apresenta-se como uma oferta de entrada de gama por parte da Nox, marca Espanhola que já nos vem surpreendendo há algum tempo com a qualidade do hardware que disponibilizam para o mercado.

A base que contacta com o CPU é em alumínio, sendo os pipes de dissipação em cobre. Este dissipador inclui uma ventoinha de 92mm (controlada por PWM) e permite, ainda, a instalação de uma ventoinha adicional.

Este cooler manifesta outro dos seus pontos fortes na agnosticidade ao socket da motherboard. É, assim, compatível com os seguintes modelos:


  • Intel Socket LGA 1150 / LGA 1151 / LGA 1155 / LGA 1156 / LGA 775
  • AMD Socket AM4 / FM2+ / FM2 / FM1 / AM4 / AM3+ / AM3 / AM2+ / AM2


O consumo energético apontado é de 100W e a alimentação da(s) ventoinha(s) é via conector de 4 pinos. A instalação é feita através de um mecanismo push-and-pull e, graças às ventoinhas de tamanho reduzido, não é um modelo demasiado grande mesmo que estejam a utilizar uma caixa micro-ATX. A velocidade de rotação é estimada, pela marca, no intervalo entre as 600 e 2200 RPM, com tolerância de ±10%. Contudo, pelos testes que realizámos depreendeu-se que em carga máxima podiam ser atingidos valores a roçar as 2700 rotações por minuto.

Mas se há resultado que nos conquistou com este cooler, foi o de ruído acústico. A marca especifica que este varia entre 14 e 23.8dBA (o que até poderá ser verdade) mas sem o equipamento apropriado para testar, só podemos concluir de uma forma abstracta que é, de facto,silencioso.

Antes de utilizar este Nox Hummer 190 tinha instalado o AMD Wraith Spire, cooler que é incluído de origem com o AMD Ryzen 5 1600 (e muito bom, leia-se, para um cooler stock). Os testes de stress foram levados a cabo com a ferramenta UserBenchmark e, através dos quais, concluímos que a nível de arrefecimento tanto o H190 como o cooler stock da AMD conseguiram manter o Ryzen 5 1600 abaixo dos 50ºC aquando os 100% de carga no CPU. Em idle (e com a ventoinha a rodar sobre as 720RPM a temperatura mantinha-se muito próxima dos 30ºC em ambos os casos. Onde realmente se verificou a diferença foi no ruído. A solução da Nox é mais silenciosa e, por isso e por estar tabelada abaixo de 15€, recebe o nosso voto de confiança.

Fiquem com um vídeo nosso sobre o cooler:











0 comentários: