As soft skills essenciais para trabalhar em Cibersegurança em Portugal





Vivemos na chamada era da "transformação digital" das empresas, resultando num investimento obrigatório por parte das empresas em novas áreas de especialização, tais como IOT, Cibersecurity, Machine Learning, entre outras. Quem o diz é a consultora Spring Professional, empresa do Grupo Adecco, que analisou este setor no qual a cibersegurança registou o maior crescimento no último ano.


De acordo com a análise da consultora, o mercado nacional revela uma preocupação crescente com a importância da segurança da informação, e com a consequente aposta em recursos especializados que resolvem possíveis fugas de dados, hoje motivo de prejuízo e falta de credibilidade para as empresas.

2019 é já considerado por analistas, o ano da Cibersegurança, estando prevista a implementação de uma série de normas que vão regulamentar o mercado e as diferentes áreas de negócio. De acordo com a Spring Professional são quatro as soft skills essenciais para trabalhar em Cibersegurança:

1.        É importante quem trabalha nesta área estar orientado para o detalhe: este colaborador deverá ter a capacidade de avaliar as questões técnicas e examiná-las de forma abrangente para eliminar fragilidades e prevenir ataques.
2.        Saber analisar e diagnosticar é uma mais-valia para a resolução de problemas, as capacidades analíticas têm que estar bem desenvolvidas.
3.        As fortes capacidades comunicacionais são igualmente essenciais, sendo um facilitador para transmitir de forma simples problemas complexos aos clientes e gestores da empresa.
4.        É importante saber trabalhar em equipa para conseguir perceber as dificuldades e saber aplicar as regras definidas de Cibersegurança.

De acordo com Catarina Carvalho, Diretora da Spring Professional Portugal, "sendo a Cibersegurança uma das áreas em que existe uma falta mais acentuada de recursos, é uma excelente aposta em termos de formação, prevendo-se que a oferta de emprego continue a crescer de forma considerável até 2020."

0 comentários: