Dicas Garmin para ciclismo em montanha



A Garmin Cycling Pro, especialistas de competição de montanha de elevado nível, partilham as suas dicas para um eficiente treino e corrida em montanha. Ao correr nestes ambientes mais exigentes e de altitude, o objetivo principal deverá ser manter consistência em todos os fatores: corpo e equipamento. O nosso corpo habitua-se a trabalhar em rotinas repetitivas e as mudanças não são benéficas porque alteram o ritmo do corpo, pernas, músculos e mente. Uma alteração de parâmetros leva a novos ajustes do corpo.


Especialistas da EF Education First Pro Cycling sublinham a importância das rotinas, dos bons equipamentos e da manutenção das mesmas rotinas em treinos, estágios e corridas, neste caso o foco na bicicleta, selecionando as rodas mais leves, não esquecendo do equilíbrio com um corpo bem hidratado e bem alimentado.

A preparação é essencial para garantir que tudo seja o mais bem-sucedido possível. Tudo precisa estar definido e, com etapas cuidadosas previamente pensadas para recuperação e balanceadas com as etapas de subida acentuada. O ClimbPro, um novo recurso no Edge®  530 e 830 da Garmin e agora também no Edge®  1030, pode realmente ajudar no cenário de uma montanha, mostrando o que resta da subida e, assim, calcular o esforço necessário para o resto do caminho.
Este recurso da Garmin ajuda os ciclistas fornecendo perfis automáticos de subidas e descidas, e ajudando a calcular e definir os esforços, permitindo a continuidade, o mais rápido possível.

A recuperação é o mais vital para a capacidade de manutenção de esforços, dia-após-dia, em corridas de montanha, em que várias etapas representam vários dias de intensidade elevada. Nesses casos, a recuperação no final da tarde é absolutamente vital. De acordo com o EF Education First o processo essencial após um estágio na montanha consiste em três etapas: descanso, recuperação e reabastecimento. Outros sugerem abordagens mais holísticas incluindo cinco etapas: recuperação, hidratação, nutrição, massagem e relaxamento.

O foco nos "bastidores" de uma corrida, na preparação e no descanso são essenciais para garantir que os pilotos tenham um desempenho máximo. Assim como um Garmin Edge precisa ser carregado e uma bicicleta precisa ser aprimorada, os pilotos precisam prestar atenção e acertar com força a próxima subida.

Grit e Flow: Duas ferramentas fundamentais
O Grit permite obter métricas para que o utilizador possa conhecer e analisar o nível da rota que o espera durante o passeio. Este índice mede a dificuldade da rota com base no acelerómetro, no GPS e em dados associados a irregularidades e declives. Quanto maior for o valor de Grit, mais difícil será o percurso. Por sua vez, o Flow fornece métricas ao utilizador para que possa seguir o seu nível de fluidez durante as suas viagens. Isto permite ir muito além de simplesmente medir esta característica intrínseca ao esforço feito a rota, permitindo-lhe também melhorar a técnica a fim de evitar por exemplo travagens desnecessárias. Em termos de indicador, e ao contrário do que se passa no Grit, quanto menor for o valor melhor será o fluxo.

EDGE 530, 830 e 1030: a tecnologia avançada no guiador
O controlo de esforço durante uma rota é algo de extrema importância. Os modelos Edge® da Garmin recolhem dados vitais que proporcionam informações sobre o rendimento, para que o ciclista possa melhorar e administrar o seu esforço. A nova funcionalidade ClimbPro nos três dispositivos Edge 530, 830 e 1030 da Garmin proporciona dados em tempo real sobre as subidas e descidas. Além disso, caso se trate de uma atividade pré-carregada, permite ainda medir o esforço empregue face ao resto da rota.

0 comentários: