YouTube reforça as suas políticas contra assédio






O YouTube anuncia uma série de alterações de políticas e de produtos que atualizam a forma como lidam com o assédio no YouTube. De forma a estabelecer critérios consistentes para o tipo de conteúdo que não é permitido na plataforma, o YouTube desenvolveu a estrutura que utiliza para a sua política de incitação ao ódio, tendo por base:

Uma postura mais forte contra ameaças e ataques pessoais
Consequências para um padrão de comportamento de assédio
-  Abordagem de comentários tóxicos
YouTube reforça as suas políticas contra assédio



Nos últimos anos, temos vindo a  trabalhar para melhorar a maneira como gerimos o conteúdo do YouTube, removendo-o rapidamente quando viola as nossas Diretrizes da comunidade, reduzindo a propagação de  conteúdo que está no limite do admissível, criando vozes autorizadas quando as pessoas procuram notícias de última hora e informação e a recompensar criadores confiáveis e artistas que fazem do YouTube um lugar especial. Hoje estamos a anunciar uma série de alterações de políticas e de produtos que atualizam a forma como lidamos com o assédio no YouTube. Analisamos, de uma forma regular,  todas as nossas políticas para garantir que a linha entre o que removemos e o que permitimos seja traçada no lugar certo e reconhecemos no início deste ano que, na questão do assédio, podemos e devemos fazer muito mais para proteger os nossos criadores e a comunidade.

O assédio fere a nossa comunidade, tornando as pessoas mais receosas a partilhar as suas opiniões e a envolverem-se. Ouvimos isso repetidamente  pelos criadores, incluindo aqueles que estiveram connosco durante o desenvolvimento desta atualização de política. Também reunimo-nos com vários especialistas que partilharam as suas perspectivas e informaram o nosso processo, desde organizações que estudam bullying online ou advogam em nome de jornalistas, até aos defensores da liberdade de expressão e organizações políticas de todos os lados do espectro político.

Continuamos empenhados com a nossa transparência enquanto plataforma e em garantir que o debate animado e uma troca vigorosa de ideias continuem a prosperar por aqui. No entanto, não vamos tolerar assédio e acreditamos que as etapas descritas abaixo vão contribuir para a nossa missão, tornando o YouTube um lugar melhor para qualquer pessoa partilhar a sua história ou opinião.


Uma postura mais forte contra ameaças e ataques pessoais

Temos vindo sempre a remover vídeos que ameaçam explicitamente alguém, que revelam informações pessoais confidenciais ou incentivam as pessoas a assediarem alguém. No futuro, as nossas políticas vão dar um passo em frente e não vão apenas proibir ameaças explícitas, mas também ameaças indirectas ou implícitas. O que inclui conteúdo que simula a violência contra um indivíduo ou idioma, sugerindo que possa ocorrer violência física. Nenhum indivíduo deve ser sujeito a assédio que incite a  violência. 

Além de ameaçar alguém, também existe uma linguagem humilhante que, por vezes, vai longe demais. De forma a estabelecer critérios consistentes para o tipo de conteúdo que não é permitido no YouTube, desenvolvemos a estrutura que utilizamos para a nossa política de incitação ao ódio. Não vamos mais permitir conteúdo que insulte maliciosamente alguém com base em atributos protegidos, tais como raça, identidade de género ou orientação sexual. Esta directriz é aplicacável a todos, desde pessoas particulares,  a criadores do YouTube e entidades públicas.

Consequências para um padrão de comportamento de assédio

Algo que ouvimos dos nossos criadores de conteúdo é que, por vezes, o assédio assume a forma de um padrão de comportamento repetido em vários vídeos ou comentários, mesmo que algum vídeo individual não ultrapasse a nossa linha de política. De forma a resolver esta questão,  estamos a reforçar as nossas políticas para o Programa de parceiros do YouTube (YPP) para tornar ainda mais difícil aqueles que se envolvem em comportamentos de assédio e garantir que recompensamos apenas os criadores confiáveis. Os canais que se opõem repetidamente à nossa política de assédio serão suspensos do YPP, eliminando a sua capacidade de ganhar dinheiro no YouTube. Também podemos remover o conteúdo dos canais se os mesmos assediarem repetidamente alguém. Se este comportamento continuar, tomaremos medidas mais severas, incluindo avisos ou a rescisão de um canal por completo.


Abordagem de comentários tóxicos

Sabemos que a secção de comentários é um lugar importante para os fãs se envolverem com os criadores e entre si. Ao mesmo tempo, recebemos o feedback de que, geralmente, é na secção dos comentários  onde os criadores e espectadores se deparam com assédio. Este comportamento não apenas afeta a pessoa visada pelo assédio, mas também pode ter um efeito assustador em toda a conversa.

Para combater este problema, removemos comentários que claramente violam as nossas políticas - mais de 16 milhões no terceiro trimestre deste ano. As atualizações de políticas acima descritas também vão ser aplicadas nos comentários; portanto, esperamos que este número aumente nos próximos trimestres.

Para além dos comentários que removemos, também capacitamos os criadores para moldar ainda mais a conversa nos seus canais e possuírem uma variedade de ferramentas que os ajudem. Quando não temos a certeza de que um comentário viola as nossas políticas, mas que pareça potencialmente inapropriado, damos aos criadores a hipótese de o analisar antes de ser publicado no seu canal. Os resultados entre os primeiros adotantes foram promissores - os canais que ativaram o recurso tiveram uma redução de 75% nas sinalizações de utilizadores nos comentários. No início deste ano, começámos a ativar esta configuração por padrão para a maioria dos criadores.

Continuamos a ajustar os nossos sistemas para garantir que captamos comentários realmente tóxicos, não apenas algo que seja negativo ou crítico. Na semana passada, <link to forum>, começámos a ativar este recurso por padrão nos maiores canais do YouTube, com as secções de comentários mais ativas do site, e será lançado na maioria dos canais até ao final do ano. De forma a clarificar, os criadores podem optar por não participar e, se optarem por deixar o recurso ativado, ainda vão ter  o controlo final sobre quais os comentários em espera que podem aparecer nos seus vídeos. Como alternativa e se assim preferirem, os criadores também podem ignorar completamente os comentários retidos. 

Todas estas atualizações representam mais um passo para garantir a proteção da comunidade do YouTube. Esperamos que continuem a existir debates saudáveis sobre algumas das decisões e que tenhamos um processo apelativo se os criadores acreditarem que categorizamos erradamente um determinado vídeo. 

À medida que fazemos estas alterações, é extremamente importante que o YouTube continue a ser um lugar onde as pessoas possam expressar uma ampla gama de ideias e que continuaremos a proteger a discussão sobre assuntos de interesse público e de expressão artística. Também acreditamos que estas discussões possam ser realizadas de maneira a convidar a participação e nunca fazer alguém  temer pela sua segurança. Temos o compromisso de continuar a rever as nossas políticas regularmente para garantir que as mesmas estejam a preservar a magia do YouTube e, ao mesmo tempo, que correspondam às expectativas da nossa comunidade.

0 comentários: